Para se sentir bem

Mulher Maravilha ou cuidadora familiar?

Conciliar trabalho, casa, filhos e cuidar de pais idosos não é nada fácil. Preparamos 10 dicas valiosas para você que trabalha fora e é uma cuidadora familiar.

  1. Reconheça seu papel como cuidadora
    Talvez você seja filha única, ou seja a mais velha, ou talvez sua mãe/pai se dê melhor com você do que com seus outros irmãos. Não importa como tudo começou mas, se você ajuda seu pais com as atividades que eles não conseguem mais fazer por conta própria você é uma cuidadora.
  2. Não esconda seu papel de cuidadora no ambiente de trabalho
    Você pode querer preservar sua vida pessoal e não expor sua família. Mas, compartilhar com seu chefe e colegas próximos pode ajudar a elaborar um plano para situações de emergência.
  3. Identifique qual é a ajuda que seu familiar de fato precisa
    Procure saber sobre a rotina de dia e de noite, as dificuldades, necessidades e preferências. Caso você não more na mesma casa, procure conviver com seu familiar para saber você mesma como as coisas acontecem.
  4. Reconheça em você sinais de depressão e ansiedade
    Muitas cuidadoras passam por isso. São muitas demandas físicas e psicológicas para lidar no dia a dia. Ter cansaço crônico, desânimo, chorar de forma inesperada, ter problemas para dormir, falta ou excesso de apetite são alguns sinais. Não ache que isso é normal ou sinal de fraqueza e procure ajuda especializada rapidamente.
  5. Organize o dia a dia e se antecipe aos problemas
    Boa organização economiza tempo, dinheiro e sobrecarrega menos.
    Você pode ter dificuldade para se ausentar do trabalho e chegar me casa rapidamente em situações de emergência (falta e atraso de cuidadores e intercorrências de saúde) Tenha um plano para essas situações com familiares, amigos e vizinhos ou empresas especializadas.
  6. Peça ajuda de outras pessoas da sua rede de suporte
    Não espere que as pessoas se ofereçam para ajudar. Diga como podem lhe ajudar. Acompanhar em uma consulta, se encarregar de comprar medicamentos são atividades pontuais mas, que podem aliviar sua sobrecarga.
  7. Discuta sobre questões financeiras
    Conversar sobre como o dinheiro está sendo usado, sobre divisão dos gastos e expectativas financeiras futuras é fundamental. Não espere ficar com a corda no pescoço para fazer uma gestão financeira. Cuidar de alguém com doença crônica é caro e pode se arrastar por muitos anos.
  8. Se comunique de forma eficiente com os profissionais de saúde
    Se informe junto ao médico e aos outros profissionais sobre a doença do seu familiar, sobre o prognóstico e o que você precisa saber para prevenir problemas e dar maior conforto em bem estar para seus pais. Saber que você está fazendo tudo que está a seu alcance dá tranquilidade.
  9. Cuide de você
    Mulher sempre “se vira nos trinta” para equilibrar as demandas do trabalho, dos filhos, do relacionamento com companheiro/a, da casa. Você não é a Mulher Maravilha. Tire momentos só para você e tome conta da sua saúde. Atividade física, como pex. fazer caminhadas ajuda muito.
  10. Seja flexível e faça as escolhas possíveis
    A vida muda o tempo todo. Existem perdas e ganhos. A condição de saúde do seu pai/mãe pode mudar tanto para pior quanto para melhor. Aceite as limitações deles e as suas. Confie que você está fazendo o que pode em cada fase.

1 Comentário. Deixe novo

  • Texto sucinto e esclarecedor para ajudar a entender o “sufoco que pode se transformar o cuidar e como driblar os percalços.
    Excelente! Parabéns!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu