Diário do Coronavirus

Diário do Coronavírus para cuidadores familiares #1

Isolamento ou distanciamento social, é mesmo necessário?

Um dia de cada vez! Esse é o lema.

Se você estiver lendo este texto hoje (19 de março) já temos no mundo hoje 207.855 casos de COVID-19 e 8.648 mortes (Você pode acompanhar os dados em tempo real mapa da OMS). Não há como não ficar preocupado. Mas calma! Tempos de incerteza exigem que as nossas ações sejam planejadas. Mudanças no jeito que vivemos serão necessárias. Muitos especialistas aconselham a não entrar em pânico porém também não minimizar os riscos.

Aqui vão algumas dicas importantes para ajudar você e sua família a se organizar e tomar decisões sensatas e equilibradas em tempos de Coronavírus. Prevenir e contornar os riscos de contaminação nos permitirá dias menos tensos.

1. Distanciamento social do meu familiar idoso é mesmo necessário?

O distanciamento é uma medida de proteção. Hoje preferimos falar em distanciamento social ao invés de isolamento. Na verdade é uma medida auto protetora de separação (O Governo do Canadá sugere o nome “protective self-separation”).

É recomendado se seu familiar tem alguma doença pré-existente e portanto corre mais risco de contrair a COVID-19 e esta se agravar. Por exemplo, nos casos de hipertensão arterial, diabetes, insuficiência cardíaca ou renal, enfisema e também qualquer outra doença que diminua a eficiência do sistema imunológico.

O que é o Distanciamento Social? É não sair de casa e se possível limitar o contato com pessoas da família, cuidadores profissionais, ajudantes domésticos, porteiros, etc.

Evite o contato do seu familiar com netos, bisnetos. Crianças podem ser transmissoras assintomáticas.

Dicas importantes:

    • Converse com sua família abertamente e diminua as visitas a casa do seu familiar idoso. Importante: estamos falando de distanciamento físico (face-a-face). Mantenha um esquema de contato virtual frequente: ligações telefônicas, whatsapp, chamadas de vídeo, etc. Escolha uma pessoa da família para visitar periodicamente este idoso. Conferir como ele tem passado. Muitos idosos que moram sozinhos não querem preocupar seus familiares e tardam a manifestar que estão se sentindo mal;
    • Lave as mãos assim que entrar em casa (melhor ainda tome um banho, caso tenha usado transporte público)*;
    • Não beije ou abrace;
    • Deixe a casa ventilada (abra as janelas);
    • Não compartilhe toalhas de rosto, travesseiros, mantas, pratos, copos e talheres;
    • Caso o cuidador more na mesma casa do idoso:
      • Não durma no mesmo quarto do idoso, se possível;
      • Se tiver algum sintoma e for possível se mude temporariamente para casa de um parente não idoso;
      • Se não for possível, redobre as recomendações de afastamento físico (2m de distância) e de higiene (lave as mãos, tussa em um lenço de papel e imediatamente jogue no lixo, limpe as superfícies que o idoso toca com frequência – não esqueça de bengala, andador, caixa de óculos, telefone celular, mesinha de cabeceira) e não compartilhamento de utensílios.

O portal G1 divulgou um Guia de Isolamento para você preparar sua casa caso haja alguém com sintoma de COVID-19 na sua família.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) tem uma recomendação técnica para home care em pacientes com suspeita de COVID-19.

Cuidadores em casa:

    • Tente mudar o esquema de plantão. O ideal é que haja pouca rotatividade. Se possível, discuta a possibilidade destes cuidadores fazerem plantões com maior duração;
    • Auxiliares de enfermagem que também trabalham em hospitais devem ser evitados neste momento. Você evitará maior chance de a contaminação. Mas se for impossível substituir esse profissional, seguir de forma ainda mais cuidadosa as recomendações de proteção: higiene das mãos, tomar banho e trocar de roupa ao chegarem na casa do idoso e usar máscaras e luvas nos procedimentos que exijam cuidados íntimos mais próximos;
    • Tenha um plano emergencial caso o cuidador do seu familiar tiver suspeita de COVID-19. Ele terá que ficar afastado.

Importante: Se alguém da sua família ou que frequenta a casa do seu familiar (cuidadores, profissionais de saúde, empregados, etc) teve contato nos últimos 2 dias com alguma pessoa suspeita de ter COVID-19 a saúde dele (a) deve ser monitorada por 14 dias após o aparecimento dos sintomas da pessoa de contato. Apenas após este período você teria segurança de que ele não terá a COVID-19. (Fonte: OMS)

2. Meu familiar faz terapia em casa (fisioterapia , fonoaudiologia, terapia cocupacional, etc) é necessário suspender?

Profissionais de saúde estão bem orientados quanto as medidas de proteção. Devem seguir normas de higiene muito rigorosas e usar luvas e máscaras quando necessário. Aqui o importante é saber se a suspensão trará malefícios. Muitas terapias são essenciais para manter a saúde dos idosos (fisioterapia motora e respiratória para idosos acamados, por exemplo). Estas não devem ser suspensas. Converse abertamente com o profissional.

Caso tenham tido contato com alguém suspeito de COVID-19 devem ficar afastados por 14 dias em observação do contato com seu familiar.

Caso este profissional atenda também em hospital considere trocar o profissional. É importante diminuirmos ao máximo o contato do idoso com pessoas que tenham maior risco de contaminação pelo coronavírus. O ambiente hospitalar é onde há maior número de casos graves da COVID-19. É comum que profissionais que trabalhem em hospitais também façam atendimentos domiciliares.

Fontes:

Organização Mundial da Saúde (Acesse aqui)

Governo do Canada -Community-based measures to mitigate the spread of coronavirus disease (COVID-19) in Canada (Acesse aqui)

Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido – Stay at home advice – Coronavirus (COVID-19) (Acesse aqui)

Fundação Oswaldo Cruz (Acesse aqui)

2 Comentários. Deixe novo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu